Central de atendimento · (047)30353777

Português pt English enEspañol es

Blog

4 principais tendências em infraestrutura de TI para 2019

No mundo da infraestrutura de TI e do setor de banco de dados, você já sabe que as atualizações são quase diárias, não é mesmo? 

Ainda assim, existem certas tendências que servem como base para um trabalho cada vez mais otimizado e que dê resultado para as empresas – afinal, é isso o que elas esperam. 

Para você ter uma ideia, uma pesquisa de 2018 da Pure Storage conduzida pelo MIT Technology Review afirmou que 86% dos líderes de empresas dizem que os dados são a base para a tomada de decisões, e 87% afirmam que eles são fundamentais para a criação de resultados para os clientes. 

Então, esteja você à frente de um departamento de TI ou como um colaborador da equipe, fique por dentro destas 4 principais tendências no setor de banco de dados e infraestrutura de TI para 2019: 

1# Redução de data centers, interconexão entre eles e DCaaS

Aqui temos três cenários: a redução de data centers, a interconexão entre os poucos que permanecerem e o uso do Data Center as a Service (DCaaS), que promete eliminar a maioria destes equipamentos dentro das empresas. 

Vamos por partes.

De acordo com previsões da consultoria Gartner, até 2020 os serviços de Infraestructure as a Service (IaaS) e Platform as a Service (PaaS) serão maiores do que a instalação de datas centers nas empresas – significando uma redução gradual dos equipamentos, principalmente em empresas menores. Já as maiores passarão a aderir a opções híbridas de cloud computing. 

Além dessa diminuição, a tendência é a interconexão entre esses data centers, que passarão a compartilhar recursos e a trabalharem juntos. Na prática, isso significa modelos de softwares melhor definidos e dinâmicos, sendo que esse compartilhamento é feito por meio de APIs. 

Por outro lado, outra tendência que surge é o Data Center as a Service (DCaaS), que significa contratar empresas que fornecem data centers físicos em locais fora de suas sedes. Sim, estamos falando de alugar ou arrendar o uso de data center e de todos os seus recursos. 

Essa pode ser uma boa solução caso a sua empresa precise aumentar a infraestrutura de TI, mas não possui espaço suficiente e nem outros recursos. 

2# Microsserviços e contêineres como um passo a mais na virtualização do banco de dados

Uma tendência na arquitetura de softwares é o uso de microsserviços e contêineres para novas aplicações referentes ao desenvolvimento na cloud. 

Isso permite que múltiplas instâncias de um sistema operacional sejam criadas de forma isolada, mas dentro de um mesmo servidor. 

Mas qual é a diferença entre essa forma de desenvolvimento e a tão conhecida virtualização? O contêiner não precisa de uma camada de sistema operacional para cada aplicação que for utilizada.

Nesse caso, a capacidade de armazenamento exigida é menor.

Na prática, os microsserviços e contêineres são criados de forma independente, mas interagem entre si, sem se comunicarem diretamente com o Sistema Operacional (SO). 

3# A Internet das Coisas afetará o gerenciamento da infraestrutura de TI

Não é novidade que a Internet das Coisas (IoT) é uma das tendências mais fortes da atualidade. 

Aliás, segundo previsões da Gartner, estima-se que até 2020 o mundo tenha cerca de 50 bilhões de dispositivos conectados à Internet, impactando fortemente a economia mundial. 

Em relação à infraestrutura de TI e o setor de banco de dados, essa tendência afetará diretamente seus gerenciamentos, principalmente por conta do aumento do fluxo de dados nos servidores – o que exigirá cada vez mais capacidade de armazenamento e decodificação. 

Na prática, isso implica em novas formas de criação e gerenciamento dos data centers, e cabe ao departamento de Infraestrutura e Operações (I&O) desenvolver uma arquitetura de IoT a longo prazo para que o banco de dados suporte tantas informações.  

4# Como um profissional de TI, você precisará ser mais versátil para permanecer no mercado

As tendências também apontam para uma redução de 5% no número de contratações de especialistas da área de TI até 2019, de acordo com a Gartner. Isso porque estima-se que em 2021, 40% da equipe precisará ser mais que especialista, mas versátil e desempenhar várias funções na empresa.

Com isso, se você é um especialista em TI, prepare-se para se tornar um gerente de TI versátil e orientado a áreas como inteligência de negócios, marketing, desenvolvimento de software, gerenciamento de projetos e produtos digitais, além de arquitetura e gerenciamento de experiência do cliente. 

E prepare-se para o surgimento ou a mudança de novas funções dentro do departamento de TI. Eles serão voltados ao planejamento do impacto que os novos dispositivos terão sobre o banco de dados e a infraestrutura de TI, além do monitoramento e gerenciamento de diversos provedores e, ainda, a integração de todas as soluções criadas. 

Caso fique confuso por onde começar a implantar todas essas tendências em infraestrutura de TI e banco de dados, lembre-se do mais importante: a inovação deve ser acompanhada de um real crescimento da empresa.

Afinal, o setor de TI crescerá apenas se a empresa lucrar, não é mesmo?

Até a próxima!