Central de atendimento · (047)30353777

Português pt English enEspañol es

Blog

Como ter uma TI estável e segura? Confira 5 dicas

Hoje, toda empresa sabe que para manter a competitividade ter um departamento de TI é essencial. Mas o que muitas deixam passar é que manter esse departamento estável e seguro é ainda mais importante.

Afinal, é dele que dependem praticamente todos os processos, já que hoje ninguém mais sobrevive no mercado sem tecnologia ou internet. Por isso, a estrutura não precisa apenas existir, mas ser extremamente eficiente – seja qual for o tamanho da empresa.

No entanto, é mais comum do que se pensa a TI não acompanhar o crescimento do negócio. Assim, a demanda aumenta e sobrecarrega cada vez mais o departamento, podendo causar resultados desastrosos.

Perda ou roubo de dados e informações, falta de escalabilidade e queda no desempenho são apenas alguns dos problemas que podem ser evitados com o investimento em TI.

Veja como garantir a segurança e a estabilidade da TI em 5 passos

Segurança e estabilidade são as palavras-chave quando o assunto é TI, mas para isso é preciso ficar atento a pelo menos 5 aspectos básicos:

1 – Backup: a garantia da produtividade

A perda ou furto de dados é um dos piores fantasmas que ameaçam negócios de todos os tamanhos e áreas.

Se hoje a informação é um dos maiores ativos corporativos, o volume cada vez maior de dados armazenadas pelas empresas precisa ser protegido por backups.

O procedimento nada mais é do que a criação de cópias de segurança em locais físicos ou digitais, estrategicamente separadas dos arquivos originais.

No entanto, é preciso atenção para encontrar e planejar com cuidado e antecedência planos e processos de recuperação.

Um bom monitoramento também colabora para um sistema eficiente de backup. O ideal é monitorar toda a infraestrutura de rede e a interface do tráfego principalmente nos picos, implementando medidas de otimização.

Dessa forma, também, é possível criar alertas para problemas de desempenho e desvio da linha de base.

2 – Redes e servidores: segurança da presença online

Mesmo para as empresas que não vivem exclusivamente da internet, a presença online faz toda a diferença entre o sucesso e o ostracismo. Para isso, no entanto, é preciso de servidores de confiança, que operem de forma segura e veloz.

Um servidor dedicado, por exemplo, é um tipo físico utilizado para hospedar sites de um cliente apenas, mas com enorme quantidade de dados e precisam de um recurso de memória robusto.

No entanto é preciso atenção para a sobrecarga do servidor, seja físico ou virtual. Para isso, a TI deve dispor de ferramentas de monitoramento das linhas de base que preveja o trabalho excessivo e evitem que o servidor seja derrubado.

Já as redes são justamente o que permitem que haja várias máquinas conectadas, independente de quantas forem necessárias.

Através dos servidores é possível compartilhar dados, informações e recursos de forma direta, inclusive em uma base peer-to-peer.

Esse tipo de arquitetura de TI permite que cada ponto da rede funcione tanto como servidor como cliente, sem a necessidade de um servidor central.

De qualquer forma, é preciso atenção à atualização do servidor e das estações de trabalho do usuário final para evitar uma violação de segurança ou vulnerabilidade do endpoint.

3 – Equipamentos de qualidade: dimensionamento correto evita prejuízo

Ter  equipamentos de qualidade na sua infraestrutura de TI é indispensável. Além de evitar que fiquem obsoletos, é preciso que a infraestrutura de computadores corresponda à necessidade de cada empresa.

Por isso, na hora da escolha, deve-se levar em conta o melhor custo-benefício e evitar máquinas poderosas demais e de alto valor por conta de recursos que nunca serão utilizados.

4 – Aplicabilidade em nuvem: cloud computing

A otimização de processos em nuvem não é mais uma tendência, mas uma exigência do mercado para quem quer competitividade.

Mais do que implantar recursos em nuvem, a garantia de produtividade se baseia no acompanhamento próximo e contínuo da evolução das soluções em cloud computing.

Entretanto, para que o negócio ganhe em agilidade e rentabilidade, é preciso que a equipe de TI tenha o conhecimento para otimizar os recursos. O cloud computing deve agregar aos servidores físicos, garantindo a melhor adequação aos processos.

5 – Esteja preparado para imprevistos

Por mais que se procure cercar de salvaguardas, é praticamente impossível não haver imprevistos na sua TI. Por isso é preciso apostar em ferramentas e recursos que permitam o acesso remoto aos sistemas dos usuários finais a qualquer tempo e lugar.

Além disso, o ideal é criar um sistema de envio de alerta para a equipe de TI com indicação do nível de gravidade do problema.

Dessa forma é possível ter uma TI segura e estável, garantindo a competitividade da empresa e o crescimento do negócio no mercado.

Você também busca uma TI estável e segura que dê suporte ao seu crescimento? Então fale com a Indyxa, que indicaremos a melhor solução para seu negócio. Até a próxima!