Central de atendimento · (047)30353777

Português pt English enEspañol es

Blog

O Cloud Computing em 2019: principais tendências que você deve conhecer

Para 86% dos empresários a coleta de dados é essencial como base para a tomada de ações – e um número praticamente igual (87%) considera essas informações fundamentais para melhorar o nível de satisfação dos clientes.

Esses resultados, frutos da pesquisa 2018 da Pure Storage, mostra o que o mercado sente cada vez mais na pele: que o armazenamento de dados é vital para a competitividade de empresas de qualquer tamanho e área. Nesse cenário, o Cloud Computing é praticamente indispensável.

Com isso, a necessidade de atualizações na TI é constante. A questão é que nem tudo é acerto. Conforme o setor se movimenta para dar conta da demanda, algumas práticas surgem, outras se transformam ou desaparecem.

Veja quais são as principais tendências em Cloud Computing para 2019 e descubra como ganhar mais assertividade nas ações de TI

1. Contêineres e microsserviços otimizam o Cloud Computing

Uma das grandes tendências para 2019 é a utilização de contêineres e microsserviços para criar múltiplas instâncias isoladas em um mesmo servidor.

Como ambos são independentes entre si, mas se comunicam sem a necessidade de uma camada de sistema operacional a cada aplicação, a exigência de uma grande capacidade de armazenamento é menor.

Dessa forma, o Cloud Computing se torna mais ágil e otimizado.

2. Digital Twins

De acordo com a Gartner, até 2020 devem haver mais de 20 bilhões de sensores e endpoints conectados – com bilhões de Digital Twins, ou Gêmeos Digitais, para bilhões de coisas.

Essa representação de um sistema ou entidade do mundo real deverá evoluir de forma dinâmica, interpretando os dados operacionais para compreender o modelo de negócio, implementando recursos e respondendo às mudanças de forma a entregar o valor esperado pelo consumidor.

A tendência é que que esses Digital Twins organizacionais (DTO) criem processos mais flexíveis e responsivos, impulsionando a eficiência dos negócios através do Cloud Computing.

3. Automação será indispensável

Mais do que uma tendência, tudo indica que em 2019 a automação será simplesmente indispensável para o gerenciamento do Cloud Computing.

Como solução tecnológica central das estratégias de inovação, a nuvem é hoje essencial para a empresa que pretende se manter no mercado.

Mais do que uma migração, o Cloud Computing é uma posição: de acordo com a Gartner, estima-se que mais de US$ 181 bilhões sejam investidos em Cloud Computing até 2020.

Nessa viagem sem retorno, os dias de rastreamento dos múltiplos sistemas em nuvem sem automação estão contados. Dessa forma, a estimativa da Gartner é que haja uma redução de 5% na contratação de especialistas em TI até 2019.

A tendência é a criação de novas funções voltadas, por exemplo, para o gerenciamento e monitoramento de múltiplos sistemas baseados em nuvem e integração de soluções, o que só será possível com a automação.

4. Redução de data centers

A Gartner prevê um crescimento dos serviços de Infrastructure as a Service (IaaS) e Platform as a Service (PaaS) sobre a criação de data centers, com a adoção de opções híbridas de Cloud Computing nas empresas de grande porte.

Essa tendência de redução gradual de equipamentos, principalmente nas empresas de pequeno porte, traz a reboque uma outra: a adoção do DCaaS (Data Center as a Service).

Dessa forma, empresas que precisam aumentar sua TI mas não dispõem de recursos para bancar a estrutura ou espaço físico, alugam ou arrendam um data center e todos os seus recursos de outras empresas.

A expectativa é que o crescimento desse novo nicho no mercado de TI deve ter uma grande expansão em 2019.

5. Empowered Edge

Cloud Computing e Edge Computing deverão evoluir como modelos complementares. Edge são os dispositivos endpoints usados pessoalmente ou incorporados ao ambiente. O Edge Computing procura manter tráfego e processamento mais próximos a esses endpoints.

A tendência para 2019 é que não seja criada uma nova arquitetura, mas que os serviços da nuvem sejam executados tanto em servidores centralizado como em on-premises e nos próprios Edge devices.

6. Computação quântica em nuvem

Ainda de acordo com a Gartner, a computação quântica em nuvem deverá aumentar em 2019, com a estimativa de chegar a 2023 valendo US$ 1,9 bilhão. O mercado está sendo impulsionado pela disputa, entre Google, Intel, Microsoft e IBM, para a construção do primeiro computador quântico capaz de fazer a criptografia ininterrupta de dados, ter conversas reais com inteligências artificiais e solucionar problemas médicos complexos, entre outras expectativas tecnológicas.

As soluções em Cloud Computing estão ganhando cada vez mais espaço. Pesquisa da McAfee com executivos de TI em 11 países, entre eles o Brasil, mostra que a confiança na nuvem se mantém em franco crescimento: 95% dos entrevistados afirmaram que confiam mais na segurança do Cloud Computing hoje do que há 1 ano.

Quer saber mais sobre Cloud Computing e TI? Continue acompanhando nossos posts e contribua com sugestões!