Central de atendimento · (047)30353777

Português pt English enEspañol es

Blog

Planejamento para Migração de Dados: passo a passo para o seu setor de TI

Depois de entender os motivos de fazer um upgrade em sua infraestrutura de TI (como vimos neste post aqui) e conhecer alguns tipos de migração (como vimos aqui), vamos responder outra dúvida frequente dos nossos leitores do blog e clientes: quais são as etapas de um planejamento para migração de dados?

Ou seja, se você se decidiu por transferir os dados da empresa para outros sistemas mais completos, seguros e atualizados, incluindo as soluções cloud computing, como se faz o planejamento para que tudo seja feito em tempo hábil, sem grandes paradas e com segurança?

Fique atento ao post de hoje para entender como funciona um planejamento de migração de dados! Existem, de maneira geral, 6 passos necessários, os quais veremos agora.

Passo 1: fase de planejamento das etapas de migração

Quando você contrata a equipe que fará a migração de dados, antes de tudo ela precisa saber as necessidades e objetivos dessa migração.

Com isso, parte-se para a etapa do levantamento desses objetivos para saber quais dados serão migrados, para onde e como eles serão distribuídos. Isso porque a migração de dados é, felizmente, uma tarefa altamente customizável, o que torna seu custo-benefício interessante.

Bom, o planejamento para migração de dados é feito por meio de uma espécie de “anamnese” para que a empresa aponte todos os detalhes sobre eles, incluindo como eles estão sendo atualmente coletados e monitorados.

Entenda que antes de elaborar o projeto, saiba que a migração de dados da sua empresa pode ser feita de duas maneiras.

A primeira é o chamado Turn Key, que é a migração de dados feita de uma só vez. Nesse tipo de migração, os riscos são ampliados, mas, em compensação, reduz-se o tempo do projeto. Além disso, para que essa rapidez também se justifique, as equipes deverão ser treinadas todas de uma só vez para utilizarem o novo sistema.

Outro tipo de migração de dados é o feito em etapas, ou seja, essa transferência dos dados será dividida em diversas fases, tornando a execução do projeto mais suave. Geralmente esse tipo de migração é indicado para empresas que não têm urgência em um novo sistema.

Bom, de qualquer modo, saiba que o planejamento para migração de dados é uma etapa muito importante e exige tempo para que a terceirizada entenda a empresa e consiga entregar resultados satisfatórios.

Passo 2: mapeamento de dados, documentação e definição da estratégia

O segundo passo a ser dado depois do levantamento das necessidades da empresa é a realização de uma análise dos dados, da definição da estratégia e a documentação das próximas etapas.

É preciso que a empresa entenda claramente nessa fase quais serão os dados migrados, quais não serão migrados e como estão as condições dessa migração.

Na prática, esse mapeamento de dados (etapa também conhecida como “walkthrough”) significa a criação de um roteiro detalhado para a execução dos procedimentos. Esse roteiro documentado é importante para a segurança da migração, evitando erros ou esquecimentos no meio do processo.

Alguns exemplos de estratégias que serão definidas neste segundo passo são:

  • Definição de todo o escopo de migração de dados;
  • Identificação de riscos;
  • Definição de como será na prática a execução dos processos de migração;
  • Indicação de quais metodologias e tecnologias serão aplicadas na transferência desses dados;
  • Auxílio no departamento de negócios da empresa para se identificar os gaps (brechas, ruídos);
  • Indicação de quais serão as tecnologias e ferramentas envolvidas na migração, tanto nas fontes dos dados de origem quanto no destino deles;
  • Kick-off, que é uma reunião onde todos os envolvidos no planejamento para migração de dados definem objetivos, restrições, recursos, prazos, cronogramas, além de tirar as dúvidas da empresa relacionados ao projeto.

Passo 3: escolha das ferramentas e definição das responsabilidades

Apesar deste passo também ser definido junto ao passo anterior, é importante ressaltar que a empresa responsável pelo planejamento para migração de dados fará a escolha de quais serão os recursos e as metodologias utilizadas para colocar o plano em ação.

Nesse caso, a prioridade é sempre optar por processos e ferramentas que foquem na integridade e segurança dos dados, além da divisão de responsabilidades entre a equipe de profissionais especialistas, que sejam capazes de assegurar que a rotina da migração está sendo cumprida.

Passo 4: implementação e desenvolvimento da migração de dados

A partir de todas as informações que foram definidas nos passos anteriores, eis que é chegada a fase de implementação da migração de dados.

Neste passo, portanto, inicia-se a construção das soluções, bem como a transferência dos dados propriamente dita utilizando-se as ferramentas previamente definidas.

Passo 5: revisão e teste

Após a migração dos dados, é fundamental que se iniciem os procedimentos de revisão e testes – aliás, existem várias práticas de testes que atendem a esse passo e que são escolhidas de acordo com o projeto de migração de dados da empresa.

Exemplos de testes são: full volume test, low volume test e dress rehearsal. Nesta etapa, pode-se aprimorar alguns detalhes importantes e até corrigir alguns procedimentos para que os resultados sejam satisfatórios.

Passo 6: desativação do antigo sistema de dados

Por fim, migração de dados completada e validada, é hora de cumprir alguns pré-requisitos para a desativação do antigo sistema que operava na empresa. Aliás, não se esqueça que essa etapa de desativação também precisa estar documentada no planejamento feito nas etapas anteriores.

Depois de concluído, o projeto é encerrado e a empresa, enfim, passa a operar em seu novo sistema, já com sua equipe interna treinada.

Dica final: prepare os colaboradores da empresa para essa migração

O planejamento de migração de dados é um desafio não apenas técnico, mas também para a cultura da empresa como um todo.

Nesse sentido, é preciso preparar os colaboradores para essa transformação, evitando situações de resistência em mudar procedimentos. Aliás, é por isso que geralmente as empresas acabam optando por realizarem o tipo de migração por etapas, para que haja treinamentos em tempo hábil.

De qualquer forma, é muito importante alinhar a comunicação interna para que todos entendam o grande valor do avanço tecnológico pelo qual a empresa passará e como isso afetará positivamente até mesmo a própria carreira de todos, já que aprenderão a trabalharem com ferramentas atuais do mercado.

E então, pronto para realizar uma migração de dados para tornar a TI da sua empresa mais estável, segura e com maior capacidade de armazenamento?

Nós da Indyxa podemos te ajudar. A nossa equipe de profissionais tem experiência na implementação de centenas de projetos de migração de dados em empresas de todos os tamanhos Brasil afora.

Clique aqui e fale com a nossa equipe para tirar as suas dúvidas.