Central de atendimento · (047)30353777

Português pt English enEspañol es

Blog

Segurança de dados: entenda este conceito

Segurança de dados é um assunto em pauta diariamente em empresas ou dentro de casa. 

Principalmente agora que segurança de dados LGPD se tornou prioridade para muitos negócios. Essa preocupação tem razão de ser, porque convivemos nos últimos anos com muitos escândalos envolvendo a segurança de dados na internet.

Por isso, resolvemos abordar de forma mais direta e profunda o que é segurança de dados e seus desdobramentos. Confira!

O que é a segurança de dados ou da informação?

O que é segurança de dados? A segurança de dados nas empresas tem a ver com a segurança de dados pessoais? E a segurança de dados na internet? 

A resposta para qualquer uma dessas perguntas passa por entender o conceito primordial: segurança de dados é proteção dos dados perante ameaças intencionais ou acidentais, modificação não autorizada, destruição ou roubo. Em outras palavras, é a prática de preservar informações e dados.

Por isso, muitas pessoas utilizam a expressão segurança de dados e informação. E ela possui três atributos principais que devem conduzir todas as ações de prevenção:

  • Integridade: as informações manipuladas devem manter todas as suas características originais, ou seja, há preservação do ciclo de vida da informação (origem, manutenção e destruição);
  • Confidencialidade: somente pessoas ou entidades autorizadas por quem detém os direitos da informação podem acessá-la;
  • Disponibilidade: as informações estão disponíveis para o uso legítimo.

Além desses três atributos, podemos destacar ainda a conformidade (o sistema deve seguir leis, regulamentos e normas de segurança de dados) e a irretratabilidade (impede a negação de autoria de uma operação).

Imagine a aplicação da segurança de dados nas empresas. O responsável deve analisar, planejar e implementar processos e ferramentas que garantam exatamente esses três atributos, no mínimo. 

Para tanto, é preciso avaliar também o nível de segurança de dados desejado, o que varia de empresa para empresa. Deve existir um conjunto de normas, recomendações e práticas que todos os indivíduos devem seguir para garantir a segurança de dados e informação.

Quando se trata de segurança de dados pessoais, entra a LGPD e seus outros princípios, como já abordamos amplamente em outras oportunidades aqui no blog.

Qual é a diferença entre segurança digital e segurança da informação?

A segurança da informação é um campo amplo de proteção de dados. Ela envolve qualquer informação, seja em ambiente físico ou digital. 

Já a segurança digital se propõe a definir parâmetros e escolher ferramentas para cuidar de qualquer operação online, como visitar sites e fazer transferências, e de ambientes digitais, como plataformas e sistemas diversos.

É um importante segmento de TI que tem como função bloquear as ameaças nestes ambientes, como redes sociais, e-mails e outros.

Todas essas atividades envolvem acesso, transferência e armazenamento de dados. Por isso, podemos dizer que a segurança digital é uma parte da segurança dos dados. 

E para que serve a segurança digital? Se a segurança digital é a segurança de dados na internet e em ambientes digitais, sua função é proteger os dados nestes ambientes. 

Ela serve, assim, para mitigar os riscos e as vulnerabilidades relacionados a qualquer atividade realizada no ambiente virtual. Lembre-se de que a proteção dos dados é sempre colocada em risco por diversos fatores, inclusive (e principalmente) humanos. 

Sem a segurança de dados na internet e nos ambientes digitais, as chances de vazamento, perda ou roubo de informações é enorme. 

E assim como em qualquer prática de segurança dos dados, elas devem considerar os atributos que mencionamos, utilizando-se de ferramentas e dispositivos digitais que proporcionem alto nível de segurança.

Por que a segurança digital é tão importante?

Quando pensamos o que é segurança de dados, automaticamente pensamos em privacidade. Ninguém quer ter seus dados vazados ou roubados, porque isso é um risco enorme. 

Você se lembra do escândalo do Facebook e do Cambridge Analytica? No documentário “Privacidade Hackeada” pode-se ver como os dados são manipulados em prol de grupos políticos. 

E nossos dados também podem ser utilizados para transações financeiras e inúmeras fraudes realizadas no ambiente digital. Disso já podemos ter uma noção de como a segurança digital é importante.

Não à toa, a segurança de dados nas empresas e a segurança de dados pessoais se tornou uma prioridade nos últimos anos. A cada dia, gestores procuram métodos e práticas para diminuir os riscos à integridade de dados e softwares corporativos e aos dados de pessoas físicas.

Qual o papel da segurança da informação para as empresas?

As práticas de segurança da informação garantem os atributos das informações, físicas ou virtuais, que mencionamos no início do texto. 

Considerando o ambiente corporativo, elas se voltam à proteção de um dos ativos mais valiosos das empresas, porque os dados são o que garantem o diferencial competitivo e a estratégia do negócio.

Podemos apontar 3 grandes objetivos que retratam a importância da segurança de dados para empresas:

  • Proteção de dados estratégicos: os dados empresariais envolvem informações de vendas, mercado, concorrência, core business, diferenciais, resultados de ações de marketing e muitas outras. Todas são de fundamental importância para o crescimento do negócio e devem ser protegidas ao máximo de ameaças. Já pensou se a fórmula da Coca Cola vaza?
  • Minimização de ocorrências de fraudes financeiras: transações financeiras são realizadas com frequência na internet, envolvendo dados pessoais, de cartão de crédito e outros. Eles devem ser protegidos com soluções de segurança de alto nível para evitar fraudes financeiras e ataques cibernéticos.
  • Controle da operação no digital: a operação de ambientes digitais demanda grande investimento em soluções que garantam a cibersegurança. Cada etapa deve ser protegida por criptografia ou outros recursos que minimizem os riscos.

E para garantir a segurança da informação nas empresas, os gestores devem adotar controles físicos e lógicos.

Controles físicos

Controles físicos são aqueles que abrangem barreiras que limitam o contato ou o acesso direto à informação. Podemos citar qualquer infraestrutura criada e mantida que garante essa proteção, como paredes, trancas, portas, vigias e blindagem.

Todos esses mecanismos protegem centros de dados, arquivos e espaços onde se concentram os hardwares.

Controles lógicos

Controles lógicos são aqueles baseados em tecnologia que também limitam o acesso a ambientes ou arquivos físicos ou virtuais. 

Podemos citar como exemplos os certificados digitais, a criptografia, Mecanismos de checagem (captcha e outro), assinatura digital, protocolos de segurança e controle de acesso (cartões de acesso, biometria e senhas).

A segurança de dados é uma prioridade para empresas. Quem ainda não se atentou a isso, está correndo sérios riscos de sofrer ataques cibernéticos e incidentes de segurança que podem afetar o negócio.

Para prevenir-se de forma efetiva, é interessante contar com o auxílio de empresas especializadas para avaliar o ambiente e propor as melhores soluções. 

Entre em contato com a Indyxa e veja como podemos ajudá-lo!

Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível. Ao continuar a navegar no site, você concorda com esse uso. Para mais informações sobre como usamos cookies, veja nossa Politica de Privacidade.
Continuar